Associado JCI
Joint Commission

Notícias

10/10/2017
Empreendedores e iniciativas de sucesso em instituições de saúde aprimoram o cuidado ao paciente e são premiadas no evento

Um aplicativo que integra, rastreia, analisa e retorna para o médico anestesista uma análise de dados em tempo real, durante o procedimento cirúrgico, foi o ‘sobrevivente’ do tanque de tubarões do IV Congresso Internacional CBA 2017. O aplicativo da Anestech, apresentado pelo CEO Diógenes Silva, foi selecionado por gestores de destaque do setor da saúde para receber uma valiosa mentoria. “A Anestech é inovadora porque encaramos a qualidade assistencial de um ponto de vista que ninguém explorou ainda que é o do anestesiologista, profissional altamente especializado, envolvido com todo o fluxo do centro cirúrgico e que é chamado a tomar decisões em situações imediatas. Nosso produto oferece uma análise assertiva e objetiva. Captamos o quadro e analisamos os dados em tempo real”, explica Silva.

Como empreendedor de uma startup na área de tecnologia em saúde, Silva ressaltou a importância de participar do Congresso, que reuniu gestores e experiências de sucesso. “Quando você vê grandes players discutindo problemas e soluções, começa a entender qual a dimensão do seu universo e pode se encaixar melhor, se entender melhor como player nesse contexto. Então, O Congresso foi muito interessante não pela só a competição, que mostrou outras soluções com alto potencial de negócios e que vão impactar a vida de pacientes, mas o evento como um todo tudo circulou na órbita do aumento da segurança do paciente e da qualidade do serviço hospitalar”, avalia.

A sessão ‘CBA Shark Tank Mentorship’, inspirada no game show norte-americano, destaque da programação do IV Congresso Internacional CBA 2017, teve como ‘tubarões’ o CEO do Americas Centro de Oncologia Integrado, Nelson Teich, o vice-presidente Médico e de Serviços Externos da Rede D’Or São Luiz, Leandro Reis Tavares, o Chief Health Officer e IHS Leader da IBM Brasil, Miguel Netto, e o Diretor Executivo de Estratégia e Inovação do Grupo Fleury Medicina e Saúde, Galeno Jung.

Outras três startups dedicadas ao desenvolvimento de projetos de tecnologia voltada à saúde participaram da competição. O CEO da Rapidoc, Ivan Martins, apresentou o aplicativo que permite que os usuários agendem atendimento domiciliar com médicos, psicólogos, fisioterapeutas, nutricionista ou enfermeiros. O QTracer, baseado em um aplicativo holandês, foi mostrado pelo diretor da empresa, Danilo Meth. Segundo ele, a ferramenta facilitará a manutenção dos processos de acreditação dos hospitais: “Ela torna possível medir e avaliar a conformidade e o desempenho, de acordo com os padrões de avaliação JCI/CBA”.

Experiências premiadas

O ‘Projeto High Care – Quando a tecnologia se associa à excelência do cuidado’, elaborado por Rita Kadic, Dulce Gonçalves e Sílvia Silva, do Hospital de Cascais, em Portugal, foi o grande vencedor da Sessão Pôster do IV Congresso Internacional CBA 2017. O projeto teve diversas fases, combinando a introdução de alta tecnologia com mudança comportamental nos cuidados de enfermagem. Os resultados revelam que não é suficiente implementar a tecnologia. É preciso garantir o alinhamento dos processos e a gestão proativa da mudança junto às equipes para que se chegue ao principal objetivo que é cuidar melhor do paciente.

Um sistema eletrônico que automatiza e integra os indicadores de todas as áreas do hospital ao Planejamento Estratégico, de autoria da diretora executiva do Hospital São Vicente de Paulo (HSVP), Irmã Marinete Tibério, e do gerente de tecnologia da informação da unidade, André Mallman, ficou em segundo lugar. O novo sistema permitiu que o HSVP tivesse uma gestão mais eficiente e alterou parâmetros de operação e processos internos. A diretora executiva da instituição comemorou o reconhecimento: “Nós investimos muito em tecnologia de ponta. Foi com muita alegria que soubemos que os quatro inscritos no Congresso foram classificados, sendo que o nosso planejamento estratégico ligado ao BSC ficou em segundo lugar”, disse ela.

O terceiro premiado foi o método desenvolvido para análise, classificação e tratativas de notificações de incidentes. Criado por Mariane Cavalheiro, Adriana Blanco, Ednilson Vicentini, Juliane Vieira e Eliane Santos, o projeto do Hospital Santa Cruz permitiu melhorar a gestão das notificações, que passaram a ser abordadas de maneira sistematizada e metodológica.

O Comitê de Ensino do CBA selecionou 19 trabalhos científicos de um total de 22 recebidos, abordando o uso das novas tecnologias na busca pela qualidade do cuidado, divididos em três categorias: Processos clínicos/assistenciais; Processos administrativos/gerenciais e Processos de educação de pacientes e colaboradores. De acordo com a superintendente do CBA, Maria Manuela Alves dos Santos, os trabalhos vencedores serão publicados na revista científica do CBA. “Nossa publicação já tem seis anos e é qualificada pela CAPES, então trata-se de um espaço importante para a divulgação destes projetos”, assegura.

<< Voltar

Desenvolvimento Digital Net