Associado JCI
Joint Commission

Acreditação

Financiamento via Cartão BNDES

Cartão BNDES amplia atuação e passa a financiar serviços de certificação e acreditação

A diretoria do BNDES aprovou a inclusão de novos itens passíveis de financiamento pelo Cartão BNDES. A partir de agora, serviços de certificação e acreditação passam a fazer parte da carteira do produto. Dentre os serviços de certificação de qualidade, o mais conhecido é a norma ISO (9000 e 14000); os de acreditação, por sua vez, são voltados para empresas da área de saúde, como hospitais, clínicas e laboratórios. Também poderá ser financiada a validação periódica dessas certificações, o que costuma ocorrer em períodos de seis meses a um ano.

Dessa forma, o BNDES procura estimular a competitividade das micro, pequenas e médias empresas brasileiras (MPMEs), através da melhoria de produtos e processos. Trata-se de uma medida indispensável para alguns setores, como os fabricantes de equipamentos eletromédicos, por exemplo, que têm a obrigação legal de certificar seus produtos antes de levá-los ao mercado. Também serão beneficiadas as micro e pequenas exportadoras, das quais, em geral, é exigida uma certificação de qualidade do padrão ISO.

Quanto à acreditação, o Banco trabalha com a perspectiva de que a demanda se intensifique no médio e no longo prazo. A estimativa baseia-se no fato de que, atualmente, as empresas não são obrigadas a exibir o certificado, mas há um esforço de governo, através do ministério da Saúde e da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), para estimulá-las a se acreditar. Para fornecer tais serviços, só serão credenciados pelo BNDES empresas ou organismos chancelados pelo Inmetro (para os que prestam serviço de certificação) e pela ANS (para fornecedores de acreditação). O objetivo da medida é preservar a credibilidade do produto.

O Cartão – A incorporação dos novos serviços marca uma terceira fase na trajetória do Cartão BNDES. Surgido em 2003, com o objetivo de oferecer financiamento simplificado de bens de produção para MPMES, o produto passou a incluir em seu catálogo, desde fins de 2006, alguns insumos utilizados por setores específicos. A idéia, naquele momento, foi apoiar setores estratégicos dominados por micro e pequenas empresas que empregam bastante ou que estavam fragilizados frente à concorrência chinesa.

Atualmente, o Cartão conta com nove mil fornecedores credenciados, que oferecem mais de 90 mil itens financiáveis no seu Portal de Operações (www.cartaobndes.gov.br). Desde o seu surgimento, já foram habilitados mais de 143 mil cartões, para os quais o limite de crédito disponibilizado pelos bancos emissores (Bradesco, Banco do Brasil e Caixa Econômica Federal) é superior a R$ 4 bilhões. Desse montante, quase R$ 1,5 bilhão foi efetivamente utilizado.

Somente nestes nove primeiros meses do ano, já foram desembolsados R$ 550 milhões, em aproximadamente 40 mil operações, o que representa crescimento de mais de 50% em relação a igual período do ano passado. O desempenho levou o Banco a rever sua projeção total de desembolsos para 2008, elevando-a de R$ 750 milhões para R$ 800 milhões.

Com um ticket médio unitário de R$ 14,5 mil por operação, valor baixo para os padrões do BNDES, o Cartão democratiza o acesso aos recursos do Banco, inclusive em termos geográficos: há desembolsos para as 27 unidades da federação. Esse resultado é fruto de uma série de fatores, como a desburocratização (as operações são efetuadas via Internet); a taxa de juros atrativa (atualmente, está em 1,14% ao mês); a ausência de anuidade; o pagamento facilitado em até 36 parcelas fixas; e a não exigência de garantia real para o crédito rotativo pré-aprovado, de até R$ 250 mil por cartão emitido.

Fonte: http://www.bndes.gov.br/SiteBNDES/bndes/bndes_pt/Institucional/Sala_de_Imprensa/Noticias/2008/20080911_not157_08.html

<< Voltar

Desenvolvimento Digital Net